Proadess 2

Terça-Feira, 19 de Março de 2019.

Estimativas populacionais utilizadas no cálculo de indicadores do PROADESS


O PROADESS utilizou para o cálculo de alguns indicadores as estimativas da população municipal, por idade e sexo, para o período de 2000 a 2015, validadas pelo IBGE e disponíveis no DATASUS (http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?novapop/cnv/popbr.def).

Conforme a Nota Técnica divulgada na página citada acima, as estimativas para o período de 2000 a 2013 foram realizadas por estudo patrocinado pela Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA); e as de 2014 a 2015 foram elaboradas pelo Ministério da Saúde/SVS/CGIAE. Cabe ressaltar que as estimativas têm exclusivamente função acadêmica, para a produção de indicadores.

Sobre as metodologias adotadas, destaca-se que:

  • Para 2000 a 2013 - As estimativas (compatibilizadas com a projeção 2013 para o Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação e de acordo com a divisão político administrativa municipal vigente em cada ano da série) foram realizadas segundo a metodologia descrita no ?Documento técnico contendo descrição da metodologia aplicada na determinação das projeções e das estimativas das populações dos municípios, por sexo e idade?, de Eduardo Santiago Rosseti. Refere-se ao Produto nº 5 do Contrato BR/CNT/1301857.001, de projeto de parceria entre a RIPSA e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com financiamento do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi-win/novapop/Metodologia-Eduardo-Rosseti.pdf

  • Para 2014 a 2015 - Para cada município, com sua respectiva distribuição por sexo e grupos de idade, foram ajustados modelos de regressão, das respectivas populações de 2000 a 2013 em função do ano, e extrapolados para os anos 2014 e 2015. A esses valores extrapolados, foram aplicados ajustes para compatibilizá-los com o total das estimativas do IBGE por UF, idade e sexo (Projeção da População das Unidades da Federação por sexo e grupos idade: 2000-2030) e, por município, com as Estimativas de 1992 a 2015 utilizadas pelo TCU para determinação das cotas do FPM (sem sexo e faixa etária), ambas disponíveis no site http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0206&id=6942.
    Foram consideradas apenas as alterações de limites entre municípios nas fronteiras interestaduais, não destacando então as eventuais mudanças de limites municipais no interior dos estados. As pequenas diferenças entre os totais das estimativas publicadas pelo IBGE e os obtidos a partir das estimativas são decorrentes de arredondamento para valores inteiros.

  • Para 2016 a 2017 - A partir das estimativas da população total para os municípios utilizadas pelo TCU para determinação das cotas do FPM para 2016 e 2017, foram calculadas as estimativas por faixa etária e sexo usando a distribuição por sexo e idade de 2015.